23 de nov de 2012

Vá dormir...

Estou saindo hoje de um curto período de mal estar, um pouco de irritação na garganta, um pouco de dor de cabeça, um pouco de indisposição geral, um pouco de febre, ou seja, um pouquinho de vários sintomas que me deixaram debilitado. Como nenhum dos sintomas era muito forte, aproveitei e fiz uma experiência. Na verdade já fiz isso outras vezes, mas nessa fui mais atento.

Nestes três dias de mal estar procurei fazer apenas aquilo que sentia vontade, não forcei nada. Seguir essa diretriz me fez mudar alguns hábitos: comi menos e bebi mais água, dormi mais, falei menos, fiquei mais sozinho. Senti vontade também de mexer no corpo, mas de forma suave, sem nenhum desconforto, queria pelo contrário, tirar o desconforto. Fiz então várias práticas de posturas restauradoras com longas permanências, principalmente as deitadas e as que soltavam a região dos ombros e pescoço. Em uma dessas práticas fui presenteado com uma deliciosa sensação de alívio percorrendo por dentro da pele, tal como um fio de água fresca em dia de sol quente. Mas o que me surpreendeu mesmo foi o poder do sono.

Desmarquei os atendimentos de duas tardes e fiquei em casa sem fazer nada, ou melhor, dormindo, ou melhor ainda, dando oportunidade para o meu corpo recuperar-se. Na primeira tarde o sono foi profundo e restaurador e na segunda foram varias cochiladas, não tão profundas, mas igualmente restauradoras.  O sono foi o melhor remédio que tomei, e acho que teve seu efeito potencializado com as práticas, a dieta e o ficar sozinho.

Senti na pele “a magia fisiológica do poder do hipometabolismo” que Sandro Bosco diz no seu livro “Posturas Restauradoras de Yoga”. O sono permite que o corpo se recupere, se reorganize, se regenere e se refaça quando entra no estado de mínimo funcionamento, quando todo o metabolismo cai. Nessa hora, ao não fazermos nada, deixamos o corpo (a natureza) seguir seus próprios caminhos e o melhor que podemos fazer é não impedir esse fluxo e não atrapalhar o processo. 

Mas qual é a maior fonte de obstáculos para que isso ocorra naturalmente? A mente, a mente inquieta e insegura que se apressa em buscar soluções mágicas e imediatas. A mente que não pára não deixa o corpo parar também. Mas é exatamente quando ela sai de cena que a mágica acontece. Saúde!

                                  
 Eu em Dwi Pada Pavana Muktasana, postura altamente relaxante 

                                     

Nenhum comentário:

Postar um comentário